Entre a taça de vinho e a xícara de café – Parte 2

Entre a taça de Café e Vinho – Tudo é ritual na apreciação dessas duas bebidas.

Entre a taça de Café e Vinho – Tudo é ritual na apreciação dessas duas bebidas
Tudo é ritual na apreciação dessas bebidas seculares! Saiba mais como aproveitar taças de vinhos e de café
Mariana Vieira

Não adianta. Se me chamar para um café ou vinho a fim de conversar sobre qualquer assunto, podemos papear felizes conversando e degustando. Mas garanto que não vai render tanto quanto falar sobre os próprios café e vinho!

Depois de discorrer um pouco sobre as semelhanças e diferenças entre essas duas bebidas seculares, me peguei pensando sobre um aspecto muito bonito: os rituais.

Ritual remete aos costumes, gestos e ações muitas vezes simbólicos que envolvem alguma atividade. Para vinho e café, o primeiro passo é a escolha; torra clara e um Rosé, ou torra média e um Tempranillo sem madeira, ou torra escura e um potente Malbec? Sempre ao gosto do freguês.

É nesse ponto que a bifurcação entre as duas bebidas aumenta. Para o café, depois de escolhido grão e torra, é necessário escolher o método de preparo. São muitos, mas, de forma geral, eles estão separados entre métodos com presença de filtro, como é o caso de coadores de pano e papel, HarioV60, Chemex e Aeropress, ou métodos sem filtro, como é o caso do café espresso (extraído sob pressão), prensa francesa e as populares cápsulas.

Cada escolha, uma sentença, pois cada método vai ressaltar determinadas características, além de exigir uma moagem mais ou menos grossa. O mais bacana é experimentar ao máximo, para descobrir preferências pessoais e mesmo estilos de café que mais se adequam a cada momento do dia.

Quando se escolhe o estilo de um vinho, é preciso se atentar à dois fatores principais: temperatura de serviço e tipo de taça. A temperatura é fundamental para que a percepção dos aromas seja a melhor possível, tornando a experiência de degustação completa.

As taças, por sua vez, são antes de tudo um instrumento tecnológico. Sim, pois diferentes taças e materiais, como vidro e cristal, favorecem a chamada dinâmica dos fluídos, que estuda e esclarece a movimentação substâncias. O modo como percebemos e interagimos com a bebida muda de acordo com o recipiente, e a melhor forma de comprovar isso é beber o mesmo vinho em duas taças completamente diferentes. Faça em casa!

Aliás, para encerrar, é bacana contar que hoje existe até taça específica para apreciar…cafés! Nos últimos anos, à pedido da Nespresso, o famoso fabricante de taças de vinho Riedel desenvolveu uma linha especializada com três opções para degustação de espressos de diferentes intensidades. Não disse que café e vinho têm tudo a ver?
Santé!

Mariana Vieira – é uma jornalista brasiliense que mora em São Paulo. É apaixonada por Gastronomia em todas as suas frentes e decidiu empreender uma jornada de aprendizado no maravilhoso mundo do vinho. Acompanhe as descobertas na coluna Diário da taça no blog da Grand Cru.
https://www.grandcru.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *